Yes - Tales From Topographic Oceans (1973) (2009 Japanese SHM-CD Remaster) [FLAC]



E aí, meu povo!

Bem, acho que hoje alguns fãs do Yes vão me odiar por estar postando isso, mas eu postei esse álbum justamente por provocação! lol A história é o seguinte: quando eu comecei a ouvir o Yes, eu cansava - e ainda canso - de ver diversas críticas a esse álbum, mas como eu ainda não tinha ouvido nenhuma música sequer dele, eu fiquei bastante intrigado e curioso em saber o que tinha de tão ruim ou de tão bom nele - segundo alguns outros fãs da banda. Confesso que na primeira vez que eu o ouvi, eu não consegui absorver quase nada das músicas e muito menos acompanhá-las direito, embora depois eu tenha começado a conseguir sacar direito o que há por trás do conceito desse disco (sim, eu ainda não consegui entendê-lo por inteiro).

Fato é que, embora tenha vendido pra caramba (atingiu o 1º lugar nas paradas britânicas e o 6º lugar nas paradas estadunidenses!) e decepcionado vários fãs, o Tales é um disco injustiçado. Acho que na época não houve um reconhecimento entre a maior parte do público-alvo da banda e o que o Yes - melhor dizendo, Jon Anderson - quis passar. Porém, segundo o próprio Anderson, o disco foi inspirado nas escrituras hindus, tais como foram encontradas no livro do mestre hindu Paramahansa Yogananda, e que simbolizam a Verdade, o Conhecimento, a Cultura e a Liberdade. Isso resultou em um álbum duplo com quatro faixas de mais ou menos 20 minutos cada uma. Segundo Rick Wakeman - que mais provocou discórdia em relação ao disco - há muita "encheção de lingüiça" nas músicas por serem desnecessariamente longas demais, o que não deixa de ser parcialmente verdade.

De qualquer forma, o Tales é um disco muito bem feito e quanto mais eu o escuto - quando eu tenho tempo sobrando, o que é difícil, pra ouví-lo - eu mais o admiro. De fato, as músicas não são fáceis de serem absorvidas, não só pelo fato de serem talvez "estáticas" por não descreverem uma história, mas um conceito em si, mas também por serem gigantescas. Afinal, embora haja "encheção de lingüiça", o Yes nunca se deixou despreocupar em criar cansões extremamente melódicas, por isso há muitos detalhes a serem notados.

Enfim, se você não gosta do Tales, ouça mais umas seis vezes com carinho e me diga o que achou. lol E recentemente eu encontrei um artigo bem interessante explicando o conceito do Tales e por quê do seu fracasso.



CD1
01 The Revealing Science Of God: Dance Of The Dawn (22:36)
02 The Remembering: High The Memory (20:53)
03 The Ancient: Giants Under The Sun (18:35)

CD2
04 Ritual: Nous Somme Du Soleil (21:52)
05 Dance Of The Dawn (Studio Run-Through)* (23:35)
06 Giants Under The Sun (Studio Run-Through)* (17:18)


*Previously unissued bonus tracks


Jon Anderson - Lead Vocals, Timpani, Harp, Tambourine
Steve Howe - Guitars, Timpani, Vocals
Chris Squire - Bass, Timpani, Vocals
Rick Wakeman - Mellotron, Mini-Moog, Organ, Piano
Alan White - Drums, Percussion

2009 Digitally Remastered by Isao Kikuchi



• Hotfile:
CD1 - Parte 1
CD1 - Parte 2
CD1 - Parte 3
CD1 - Parte 4

CD2 - Parte 1
CD2 - Parte 2
CD2 - Parte 3
CD2 - Parte 4

Arte de Capa


• FileSonic:
CD1 - Parte 1
CD1 - Parte 2
CD1 - Parte 3
CD1 - Parte 4

CD2 - Parte 1
CD2 - Parte 2
CD2 - Parte 3
CD2 - Parte 4

Arte de Capa


senha: www.avaxhome.ws

Comentários

  1. EU CONSIDERO O TALES UM CLASSICO DO PROGRESSIVO, VIAJEI E VIAJO DEMAIS NESSE SOM, FAZER UM TRABALHO DESSE NÃO É PRA QUALQUER UM, MAS O RICK W FALAR QUE TEM ENCHEÇÃO DE LINGUIÇA NESSE ALBUM???PORRA,AI É FODA, POR ISSO QUE EM RELAÇÃO A ALGUNS MUSICOS EU PREFIRO SÓ OUVIR AS MUSICAS MESMO !!!!!!! ENCHER LINGUIÇA??? PRO MUSICO RICK NOTA MIL, PRO RICK QUE FALOU ISSO DA PROPRIA MUSICA, VAI SE FODER SEU PORRA !!!!!!

    ResponderExcluir
  2. aHUahaUAhuAHauhAUAhU!!!! Velho, Rick Wakeman não gosta desse disco desde quando Jon Anderson nem tinha escrevido as letras!! E ainda teve que fazer uma turnê inteira desse disco a contragosto!!

    ResponderExcluir
  3. Olha só, ainda acho Relayer o melhor disco da banda. Porque Gates of Delirium é uma puta faixa, uma puta música, a melhor composição do Yes, quiçá uma da melhores do rock (digam ou não que é ou não é rock, e se não é também não vem ao caso).
    Mas a real é que Topographic Oceans também é um puta disco. Pelo menos o disco 2 é, com certeza.
    Novamente, puta postada.

    ResponderExcluir
  4. Acho que do The Yes Album até talvez o Relayer eu não tenho o que reclamar do Yes. Todos esses discos são maravilhosos, mas o meu favorito mesmo é o Close To The Edge, a perfeição em forma de música.

    ResponderExcluir
  5. Pessoal
    As vezes nós temos nossas diferenças musicais
    Eu nunca fui muito a fim de Yes (apesar de respeitar e muito)
    Quando o album triplo foi lançado como a maxima expressão do rock, eu ganhei este disco em uma aposta e fui seco ouvi-lo
    Sinceramente odiei, e até hoje não tive coragem de tentar reavalia-lo
    Mas vou baixar, que sabe eu esta errada, mas para mim o Relayer continua sendo o melhor
    Mas voces sabem, o meu estilo é mais paulada
    Mas todos os gostos devem ser postados, isto aquie é uma zona democrática, e todos tem direito de postar e de se expressar
    Vamos ver se mudo de opinião, mas parabens a aqueles que adoraram
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. AI,AI,AI!!!!!
    SIMPLESMENTE É DEMAIS ESTA MAQUINA DE SOM
    TUDO COMPLETO.
    GOSTO TAMBÉM DO ELP,MAS YES É SEMPRE YES.
    GRATO PELO PURO E SOBERBO SOM
    BORABORA.

    ResponderExcluir
  7. Puta som!
    Puta blog!
    Realmente esse é um lugar cheio de putas! Abençoado meretrício!
    Obrigado por compartilhar!

    ResponderExcluir

Postar um comentário